fbpx

Como encontrar o ponto fraco das suas campanhas no Facebook Ads

você já teve uma campanha ruim onde não foi possível identificar onde estava o erro?

Esta situação é bem comum, já que as duas principais fontes de tráfego (Facebook e Google Ads) mostram tantas métricas que você pode ficar perdido sem saber o que analisar, e em qual ordem, para encontrar o problema.

Justamente por isso vou te mostrar como é o meu processo de análise de métricas de campanhas.

Assim você sempre saberá para onde olhar e o que fazer para melhorar os seus resultados.

FACEBOOK

Vou falar aqui sobre os tipos de campanhas mais utilizadas para gerar resultados para a maior parte dos clientes no Facebook: conversão, tráfego e mensagem.

1ª MÉTRICA: a primeira métrica a ser analisada sempre é o famoso CPA, ou Custo Por Aquisição

No caso da campanha de conversão, é o cadastro em campanhas de captação de leads, a venda em campanhas de venda direta, ou as etapas do funil (visualização do conteúdo, adição ao carrinho, inicialização de finalização de compra, compra) no caso de e-commerces.

No caso da campanha de tráfego, pode ser a visualização da página de destino ou cliques no link.

E na campanha de mensagem, é justamente o custo por mensagem.

Você precisa ter um CPA definido para cada tipo de campanha e cliente. Alguns clientes podem pagar mais, outros menos. Isso vai depender de qual serviço/produto está sendo vendido e a margem de lucro.

Se o seu CPA está dentro da meta, as métricas secundárias não importam tanto.

Se o CPA está ruim, ou começando a aumentar, você vai olhar para as métricas secundárias que tem as maiores chances de explicar esta situação.

2ª MÉTRICA: CTR.

Click-Through Rate é o significado da sigla desta métrica. Traduzindo para o português, é a taxa de cliques.

O CTR é calculado pelo número de impressões dos seus anúncios divido pela quantidade de cliques nos anúncios.

É importante você selecionar a métrica “CTR (taxa de cliques no link)” na hora que for organizar as colunas do seu gerenciador de anúncios.

Este tipo de CTR leva em consideração apenas os cliques que levam as pessoas a visitar uma página ou enviar uma mensagem. Ele não contabiliza os cliques de curtidas e compartilhamentos, por exemplo.

O CTR indica a atratividade do seu anúncio para o público que está vendo ele. Se poucas pessoas clicam, significa que ele não é interessante para estas pessoas, e consequentemente você terá um CPA caro.

Esta métrica é a que tem o maior poder de mudar os resultados da suas campanhas.

Caso seja você quem cria os anúncios (texto e imagem) das campanhas dos seus clientes, aconselho você a estudar um pouco mais de copywriting para desenvolver anúncios mais atrativos.

Uma boa meta de CTR no Facebook Ads é algo maior que 1%. Ou seja, 1% das pessoas que visualizam seus anúncios clicam neles.

3ª MÉTRICA

Se seu CPA está ruim, mas o seu CTR está bom, a terceira métrica a ser analisada é um conjunto de taxa de conversão da sua página de destino e a perda de tráfego da sua página de destino.

Lembrando que em campanhas de mensagem estas métricas não vão existir.

Você precisa criar estas métricas para visualizar no gerenciador de anúncios.

Para descobrir a perda de tráfego você precisa aplicar a regra de 3. Multiplique o número de visualizações da página de destino por 100 e divida o resultado pelo número de cliques no link.

Por fim, pegue o resultado desta equação e subtraia de 100. Este número será a sua % de perda de tráfego.

Exemplo: tive 2250 cliques no link e 2000 visualizações da página de destino. Vou multiplicar 2000 por 100 que vai dar 200.000. Vou dividir 200.000 por 2250 que vai dar 88,88. Vou subtrair 88,88 de 100, que vai dar 11,12.

Neste exemplo a minha taxa de perda de tráfego é 11,12%.

A perda de tráfego é do número de pessoas que após clicarem no anúncio não esperam a página carregar e vão embora no meio do caminho sem visualizar a página de destino.

Se este número é alto, significa que a página está com o carregamento muito lento e precisa ser otimizada por um programador, e que o investimento do seu cliente em tráfego pago não está sendo bem aproveitado.

A mesma regra de 3 é aplicada para descobrir a taxa de conversão da página de destino.

Multiplique o número de resultados (vendas ou cadastros) por 100 e divida o resultado pelo número de visualizações da página de destino.

Exemplo: tive 2.000 visualizações da página de destino e apenas 5 resultados (vendas ou cadastros). Vou multiplicar 5 x 100 que vai dar 500. Vou dividir 500 por 2000 que vai dar 0,25.

Logo, a taxa de conversão da minha página de destino é 0,25%.

A taxa de conversão da sua página de destino pode ser influenciada pelo design e copy presente nesta página.

Neste dois exemplos a sua página está carregando em uma boa velocidade, com apenas 11,12% de perda de tráfego, mas ela está convertendo muito pouco com apenas 0,25% de taxa de conversão.

Logo, você precisa alterar o design e copy da página para aumentar a sua conversão e gerar mais resultados nas suas campanhas.

Um número de referência para você utilizar é que suas páginas de destino não passem de 20% de perda de tráfego.

Em relação a taxa de conversão, este número de referência varia bastante, dependendo se você está utilizando públicos frios, que nunca ouviram falar do produto/serviço ofertado, ou públicos quentes que já conhecem o produto/serviço ofertado.

Existem também produtos/serviços com uma taxa de conversão maior ou menor na página de destino.

É interessante você manter um registro destas métricas em uma planilha, e ir analisando ao longo dos meses para entender o que está acontecendo, assim você cria os seus próprios números de referência no contexto do seu cliente e das suas campanhas.

Foi útil esta sequência de como analisar métricas no Facebook Ads?

Se você curtiu, continue acompanhando nosso blog, e aproveite para se inscrever no nosso canal do youtube.